Inspetoria de Policiamento Escolar

Recebem 15 novas viaturas.

GOC

Canil Guarulhos prendem sequestradores.

"Crack é possível vencer"

GCM de Guarulhos recebe hoje novas viaturas para o projeto.

GOC

CANIL.

Treinamento

Segurança Escolar em treinamento com o G.O.T.E.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

São Paulo sedia o 22º Congresso das Guardas Municipais




Com mensagens de felicitações da presidenta Dilma Roussef e da ministra - chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann teve inicio dia (12) o 22º Congresso Nacional das Guardas Municipais com a presença de representantes dos organismos de segurança da união, estado e municípios
O evento aconteceu no auditório Elis Regina, no Anhembi Parque, Zona Norte - São Paulo. Uma iniciativa do Conselho Nacional das Guardas Municipais. Nesta edição cujo o tema "Guardas Municipais, um Novo Marco na Segurança Pública" o prefeito da cidade paulistana, Gilberto Kassab destacou que encerra esse mandato com uma visão clara. “Após 7 anos a frente da prefeitura encarei a responsabilidade constitucional com a segurança e atendi a todas as reivindicações legítimas feitas pela Guarda Civil Metropolitana”. Lembrou ainda que a Secretária Regina Miki, elevou o patamar de suas ações com muita credibilidade e conhecimento.

Desejou ainda que todos os integrantes de segurança do congresso participem com profundidade dos debates sobre as questões do segmento que afligem o nosso país. “Deixo para o novo prefeito Fernando Haddad condições propícias e uma GCM estruturada em equipamentos, capacitada num nível excelente de qualidade no atendimento à população da cidade de São Paulo. Durante a minha vida pública todas as reivindicações da Guarda Civil terão o meu apoio”.

Emocionado e responsável pela abertura e organização do evento, o Presidente  do  Conselho Nacional das Guardas Municipais e Comandante Geral da Guarda Civil Metropolita (SP) Inspetor Regional Joel Malta de Sá destacou o orgulho de trazer um evento deste nível para a cidade de São Paulo. “Esse é o maior congresso nacional feito na história das guardas municipais do Brasil e demonstra o envolvimento e o apoio das guardas em discutir tópicos importantes nos eixos do Plano Nacional de Segurança Publica, as principais ações do Senasp, o Marco Regulatório e os acessos dos guardas ao INFOSEG. “Que essas experiências sejam levadas para as suas cidades demonstrando a união de todas as forças”, disse o Comandante.

O Comandante ainda fez uma analogia entre a música e os organismos de segurança na qual  todos devem estar em sintonia e integração para resultados positivos.
Após a abertura, a Secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki assinou convênio de intenção para acesso à rede de Integração Nacional de Informações de Segurança Pública, Justiça e Fiscalizações (INFOSEG), que será implantado em todas as guardas municipais do país.

Estiveram presentes Carlos Roberto Estracine, representando o Governador de São Paulo, o prefeito Gilberto Kassab, a Secretária Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki, o Comandante Geral da Guarda Joel Malta de Sá, o Secretário de Segurança Urbana Edsom Ortega, o Subprefeito de Santana José Francisco Gianonni, o Vereador Coronel Paulo Adriano Telhada, Comandante interino da Polícia Militar de São Paulo, Coronel Sergio de Souza Merlo, representante da educação Margarida Prado Genofre, presidente do Conseg de Campo Limpo, representando os Conselhos de São Paulo, Geraldo Maces,  alem de sindicatos e associações do seguimento.

Fonte: Conselho Nacional das Guardas
Demais fotos: Blog do Guardão






 

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

PMs de Guarulhos são proibidos de usar farda de serviço


A corporação quer preservar os soldados dos ataques do PCC, que ordenou aos seus membros que matem dois PMs do 15º Batalhão em 30 dias
Redação GN

O setor de inteligência polícia descobriu que o PCC (Primeiro Comando da Capital) ordenou que integrantes da facção matem dois PMs do 15.º Batalhão em 30 dias. Por isso, a ordem aos policias militares de Guarulhos é esconder a farda a caminho ou na volta do trabalho. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a ordem do comando foi dada há oito dias.
 A facção quer vingar dois criminosos mortos em outubro na cidade após um assalto a banco. Em um ano em que 95 PMs foram mortos, os integrantes da corporação já mantinham rotina discreta. Mas, agora, até mesmo usar o uniforme parcialmente é proibido para que soldados não sejam alvos de ataque.
Os PMs dizem que, sem a farda, têm de pagar o ônibus - eles têm direito à gratuidade da passagem quando andam devidamente identificados.
O capitão Sérgio Marques, porta-voz da PM assevera que a proibição tem o objetivo de preservar os policiais.
Outra medida tomada pela PM foi diminuir as folgas para aumentar o efetivo na rua.
No sábado (01) à noite, mais um PM foi morto. O subtenente da reserva, Luiz Carlos Ribeiro, foi baleado em uma briga de bar, na zona oeste de São Paulo. À tarde, o ex-PM Claudio Honório de Moraes foi morto em frente a um bar em Guarulhos. Outras cinco pessoas ficaram feridas.

Fonte: guarulhosnoticias.com

Prorrogado as inscrições para o Congresso Nacional das Guardas


CLIQUE NO BANNER ACIMA


quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Roubo no Centro

Ontem (5/12), às 20:28, dois homens assaltaram uma loja na rua Dom Pedro (eu estava lá, vi e avisei o CD Brito por celular) 'Cris Marques'. Os vagabundos foram rápidos e conseguiram escapar antes da chegada da GCM, mas foram presos próximo do local. Na fuga ainda atiraram contra um dos seguranças do calçadão, não acertaram.
Com eles os GCMs encontraram um 38 buldoguinho com 4 munições intactas e uma deflagrada, além do dinheiro roubado na loja.
Parabéns à guarnição do GAPE (3ª Wendell e 3ª Santana), ronda supervisão (CD Brito e 3ª Brito) e a Centro I (1ª Paraíso, 1ª Reis e 3ª Edcarlos).
O nome do mala aí na foto é Deivid Carlos da Silva, 18 anos, morador na Vila Barros. o outro é ' de menor', 16 anos.

Créditos: Cris Marques

Dois são presos por furto

Na tarde de ontem 05/12, dois homens, ambos já com passagem pela polícia, foram presos em flagrante pelos GCMs do GOTE, 3ª Rocha e 3ª Denis. Populares avisaram à guarnição de que Richard Cleydnan de Oliveira, 26 anos, e Rodrigo de Souza, 24 anos, haviam quebrado o vidro de uma kombi e furtado algo.
De posse das características­ dos suspeitos, os GCMs realizaram ronda e localizaram a dupla na Praça Pascoal Thomeu. O furto ocorreu próximo dali, na Rua Força Pública. Eles haviam furtado o suporte de um GPS.
Ocorrência apresentada no 1º DP

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Elói Pietá é entrevistado por GCM Guerra. Acompanhem!

Eloy Pietá - Professor e advogado, é casado com a arquiteta Janete Rocha Pietá, deputada federal pelo estado de São Paulo desde 2006. Nascido no Rio Grande do Sul e morador de Guarulhos desde 1980, foi vereador na cidade entre 1983 e 1990, chegando a ser presidente da Casa. Na Assembléia Legislativa de São Paulo, chegou em 1990, sendo reeleito duas vezes: em 1994 e 1998, tendo sido líder do PT na Casa, dedicando-se principalmente ao tema da segurança pública e ao combate ao crime organizado. Em 2000, foi eleito pela primeira vez prefeito de Guarulhos, no segundo (...)
turno, com 50,13% dos votos. Em 2004 foi reeleito com 53,58% dos votos válidos no primeiro turno, superando Jovino Cândido, que terminou em segundo, com 30, 63%. Concluindo seu mandato com 80% de aprovação na cidade. Atualmente Elói Pietá é vice-presidente da Fundação Perseu Abramo, instituída pelo Partido dos Trabalhadores em 1996 para reflexão e formação política.*
Dennis Guerra - O senhor foi prefeito da cidade de Guarulhos - Grande São Paulo - por duas gestões seguidas, deixando no seu cargo o atual prefeito, candidato à reeleição, Sebastião Almeida. Por quais mudanças a GCM de Guarulhos passou por esse período e como ela é empregada na segurança do cidadão guarulhense?
Eloy Pietá -  Nas minhas duas gestões na Prefeitura de Guarulhos a Guarda Civil Municipal teve seu efetivo duplicado (de pouco mais de 300 guardas passou a mais de 600), cada GCM passou a portar arma de fogo, colete a prova de balas, a Guarda foi equipada com novas viaturas, houve um contínuo processo de formação para a atividade, por reivindicação da categoria alteramos os horários de trabalho e de folga, foi instituído o Plano de Carreira, Cargos e Salários, criamos sedes regionais da Guarda, formamos a banda musical da Guarda, e organizamos um canil. A Guarda se dedica prioritariamente ao policiamento preventivo leve nas escolas municipais, no Centro da cidade, em centros comerciais de bairros, em parques públicos, em grandes eventos.
DG - O senhor ocupa um cargo de relevada importância dentro do Partido dos Trabalhadores, atuando muito próximo ao governo. De quê maneira o senhor avalia o Projeto de Regulamentação das Guardas Municipais e qual a expectativa da Presidenta Dilma Rousseff a respeito?
EP - O passo mais importante do ponto de vista da legislação federal precisa ser dado pela Câmara dos Deputados que até hoje não votou a emenda constitucional aprovada no Senado que dá às guardas civis municipais a atribuição de cuidar das pessoas. A regulamentação desta atividade deve se fundamentar nesta nova prerrogativa constitucional. Enquanto isso não ocorre, e desejamos que logo se aprove, a regulamentação sofre de limitações ou de possibilidades de arguição de inconstitucionalidade. Nós dirigentes nacionais do partido não interferimos no governo, mas com ele temos diálogo, em casos como este, especialmente se procurados pelos representantes sindicais ou institucionais da corporação.
DG - Do texto assinado pelo senhor (Modelo Militar x Modelo Civil‏), cita-se:
O Exército conserva, em última instância, a função de polícia no Brasil, ao contrário de boa parte dos países democráticos, que definem como função das Forças Armadas apenas a defesa externa. Por intermédio da Inspetoria Geral das Polícias Militares, ele as mantém sob um controle permanente, à distância, cabendo-lhe autorizar o aumento de efetivos, o tipo e a quantidade de armamentos, a forma de organização e as normas gerais de funcionamento. Seu interesse em conservá-las como reserva tem a ver também com a idéia de preservar-se de desgastes, utilizando-as como intermediárias no exercício de sua possibilidade constitucional de impor a lei e a ordem interna.
O senhor vê na Operação Delegada uma tentativa (de médio a longo prazo) de municipalizar a segurança, tentando-se um rompimento com esta emblemática militar?
EP -  Não foi a partir de nenhuma consideração programática deste tipo que começou a Operação Delegada. Seu início foi muito mais prosaico e simples. Os PMs reivindicavam um crescimento robusto em seus vencimentos, e seus comandantes, por terem as portas fechadas para isso no governo do estado, começaram a apelar para as prefeituras para que complementassem os vencimentos dos policiais militares. Então, surgiu a proposta de aproveitá-los nas folgas para complementar sua renda, uma espécie de bico institucionalizado. Apesar da forma como começou que não tem nada a ver com ideias de municipalização da segurança, o programa de Haddad decidiu manter este sistema porque terminou sendo um benefício para os PMs que não cabe suprimir e a população não olha disputas corporativas, ela quer mais presença das instituições de segurança. Porém as atividades da Operação Delegada pelo programa de Haddad serão revistas, a partir do critério de regiões e locais prioritários para a segurança da comunidade. Não será função dela reprimir o comércio ambulante ou mendigos.
DG - Ainda neste texto o senhor afirma:
"Os municípios precisam também integrar-se ao sistema de segurança – através das guardas municipais – para cumprir tarefas mais simples, como o atendimento primário em postos policiais de bairro, o policiamento de trânsito, a vigilância de escolas e de centros comerciais. Também as tarefas de combate a incêndios podem passar aos municípios. Finalmente, com um modelo civil de segurança a comunidade terá canais de participação no planejamento e na fiscalização dos órgãos governamentais. Mesmo porque, para chegar a ele, será necessária a adesão e a mobilização popular. A luta para este novo modelo irá preparar a sociedade para participar de sua direção e gestão."
Como isso será implementado caso o candidato Fernando Haddad seja eleito?
EP -  Os textos que escrevi como deputado são de minha responsabilidade. O Programa de Governo de Haddad é da responsabilidade dele. O que posso comentar é que Haddad se comprometeu a fortalecer, prestigiar, valorizar a Guarda Civil Metropolitana, do mesmo modo a carreira e os vencimentos de seus membros, e ainda ampliar seu efetivo. Ele se comprometeu a dirigir a GCM para a tarefa prioritária que o povo reclama: cuidar da segurança das pessoas nas escolas, em outros locais públicos (centros comerciais, parques, eventos), e em territórios mais vulneráveis. Haddad vê na GCM a grande vantagem de ajudar o município num acompanhamento mais preciso do que ocorre com segurança e criminalidade na cidade, do que é necessário para melhorar o ambiente de segurança cidadã, e daquilo em que as instituções municipais podem colaborar. Para ele, a GCM não deve concorrer com a PM e com as instituições estaduais, a quem cabe efetivamente o policiamento em sua integralidade. Nem a Administração Municipal, que tem tantas tarefas para cuidar da cidade, deve puxar para si atribuições de outro nível de governo. Haddad se porpõe a que o governo municipal, representando o povo de São Paulo, acompanhe e busque que a cidade seja mais segura cumprindo bem suas tarefas específicas. Finalmente, do comércio ambulante quem vai cuidar são fiscais da prefeitura, dos mendigos quem vai cuidar é a assistência social.


DG - Segundo o senhor Edsom Ortega, enquanto Secretário Municipal de Segurança Urbana da cidade de São Paulo, o efetivo da GCM era empregado sem critérios específicos. Na atual gestão, entendeu-se que determinados aparelhos municipais poderiam ser monitorados apenas por câmeras, outros por rondas e em casos específicos, com a presença de agentes da GCM (quando não por empresas particulares de vigilância). Como isso seria avaliado em  uma gestão Haddad?
EP -  O programa de governo do Haddad dá bastante importância ao monitoramento por câmaras de vídeo, integrando-o desde a GCM até a CET e outras instituições municipais e estaduais. Isso não substitui a presença de agentes públicos nos locais públicos. Isso ajuda, prioriza, dá foco, organiza. Quanto a empresas particulares de vigilância a tarefa delas é servir às organizações particulares e no caso do poder público elas podem auxiliar na vigilância patrimonial. As organizações públicas devem empregar para a segurança das pessoas seu efetivo próprio, no caso a GCM.
DG - O então candidato à prefeitura de São Paulo Celso Russomanno afirmava que elevaria o efetivo da GCM a 20 mil integrantes. O candidato Fernando Haddad afirma que elevará a 15 mil como é previsto pela atual legislação, caso eleito. Como seria esse processo?
EP -   Como a Prefeitura na gestão Haddad vai construir novas escolas, novos cursos profissionalizantes, novos parques, e como há uma forte demanda da população por maior presença preventiva de instituições de segurança nos bairros, e como há muitos integrantes da corporação, por razões de saúde, afastados das finalidades próprias da GCM, o programa de governo de Haddad afirma a intenção de ampliar o efetivo da GCM. Ele se propõe a fazê-lo dentro das possibilidades orçamentárias e das possibilidades de boa formação do pessoal.
DG - Na gestão Marta Suplicy foi instituído o atual Plano de Carreira da GCM. Considerando-se que  muitos integrantes discordam deste plano, que gerou até mesmo um impasse no último concurso de acesso, sugerindo até mesmo uma reformulação. Isso será avaliado em uma provável gestão Haddad e de quê maneira se daria esse processo?
EP -  Sempre uma nova administração deve avaliar como os planos de carreira tem se comportado, e eventuais alterações necessárias. O programa de governo de Haddad não detalha isso, e não cabe a mim fazê-lo. Quando eleito ele formar sua equipe e for instituir o planejamento detalhado das metas e ações é que questões deste tipo serão desenvolvidas com mais precisão.
DG - Porte de arma particular: qual é a visão do senhor a respeito e essa questão está sendo avaliada pelo  candidato Fernando Haddad? Além disto,  na atual gestão foi instituído o Novo Plano de Uniformes da GCM, que segundo algumas linhas de pensamento, potencializam o risco de GCMs serem alvejados por criminosos, principalmente considerando-se os últimos meses, nos quais ataques às forças de segurança (pública ou urbana) tem se tornado comuns. Qual a sua opinião a respeito?

EP -  Estes temas não foram discutidos quando da elaboração do programa de governo. O programa trata das linhas mestras que orientarão o governo. É por isso inoportuno dar minha opinião particular a respeito. Mas todos estes assuntos certamente deverão ser tratados pelo novo governo.
 
DG - Antes de finalizar esta entrevista, gostaria de agradecer a sua atenção e disponibilidade ao gentilmente ceder parte de seu tempo para responder a algumas perguntas. Porém, sabendo que o tempo é curto, gostaria de convidá-lo desde já à uma nova entrevista no futuro. Neste momento, o que o senhor gostaria de dizer às pessoas que acompanham os Blogs?
EP -  Meu caro Dennis Guerra:
Obrigado pelo convite para contribuir com seu blog que é muito acessado pela GCM. Desculpe minhas limitações, pois como o tema quente agora são as eleições, não poderia eu ir além do que se tratou na comissão de programa de governo da qual fiz parte e do que após aprovação pelo candidato Haddad foi publicado como compromissos dele. Estou à sua disposição mais adiante para avançar minhas opiniões pessoais sobre diversos assuntos de Segurança e do papel dos municípios nisso.
Um abraço
Elói Pietá
AGRADECIMENTOS PARA A OBTENÇÃO DESTA ENTREVISTA:
Nunca é demais agradecer, principalmente quando conseguimos alcançar determinados objetivos. O deste blog foi entrevistar os candidatos à Prefeitura de São Paulo.  O então candidato Celso Russomanno foi o primeiro, e através de pessoas  como o Sr. Edsom Ortega e agora o Sr. Eloy Pietá, que poderia ter sido interpelado muito mais sobre a segurança em um contexto mais abrangente, porém, dada a importância do momento, foi inevitável tratar sobre questões mais pontuais à cidade de São Paulo. Sendo assim, podemos dizer que, diretamente ou indiretamente, tivemos acesso (limitado ou não) aos principais candidatos a prefeito.  Gostaríamos de agradecer a todos os colaboradores (diretos e indiretos) que nos auxiliaram até esse momento. Muito obrigado!
Referente à esta entrevista,  fica um agradecimento especial ao Sr. Celso Vitale (por se disponibilizar a encontrar um meio para a realização da matéria) e Sra. Mônica Mazolla (que intermediou o contato). E principalmente ao entrevistado Sr. Eloy Pietá que, mesmo com problemas de ordem pessoal, gentilmente cedeu as respostas às questões encaminhadas.
 

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Assaltantes são presos em flagrante por GCMs da IR Inspetoria Leste


Dois homens, um deles armado com revólver, foram presos no momento em que roubavam o veículo de uma família. O crime ocorreu por volta das 6h30 de hoje (23), na rua Nova Timbotéua, Vila Isabel, região do Jardim Cumbica.
Os GCMs 2ª Holanda, 3ª Romualdo e 3ª Ivan contaram que avistaram os acusados Edivaldo Antônio de Santana, 31 anos, e Raul Brandão da Silva, 24 anos, apontando um revólver para R.S.G.R., 25 anos, que estava com sua família no interior do veículo. “Esperamos os assaltantes entrarem no carro e realizamos a abordagem, assim não colocamos em risco a segurança da família”, informou a GCM Holanda.
A vítima contou que Edivaldo estava com o dedo no gatilho quando anunciou o roubo e mandou que ele e sua família descessem do veículo. “Entreguei as chaves e ele ainda pegou meu celular que estava no bolso da calça. Graças aos guardas recuperei tudo”, explicou a vítima.
Com os assaltantes, os guardas encontraram, além do celular de R., o revólver calibre 38, com cinco munições intactas. “Estava engatilhado”, confirmou um dos GCMs. A ocorrência foi apresentada no 4º DP.

Créditos: Cris Marques

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Guarda Civil Municipal comemora seu 15º aniversário


Vinculada à Secretaria para Assuntos de Segurança Pública, a Guarda Civil Municipal (GCM) completou 15 anos de existência no último dia. O aniversário será comemorado nesta quarta-feira (21) com diversas atividades que serão realizadas na rua Dom Pedro, Centro, a partir das 10 horas. Entre elas está a apresentação do Corpo Musical da GCM e do Canil.
As atividades começam às 10h com a apresentação do Corpo Musical da GCM e continuam durante todo o dia. O Grupo Unido de Resistência às Drogas (Guard) realizará dinâmicas com crianças e adultos e distribuirá o material utilizado nas campanhas e cursos de prevenção anti-drogas. O Grupamento Ambiental, por sua vez, esclarecerá todas as dúvidas relacionadas ao serviço prestado. Além disso, haverá exposição das viaturas e apresentação do Canil, às 11h e às 15h. Às 16h a banda da Guarda apresenta-se novamente.
A corporação
A GCM possui atualmente 741 guardas, que prestam serviços aos guarulhenses e auxiliam as polícias Civil e Militar na segurança dos cidadãos. Atualmente, são seis Inspetorias Regionais (IR) e nove grupamentos (Canil, Grupo de Operações Táticas Especiais – Gote, Grupo de Apoio a Postos Específicos – Gape,  Grupamento Ronda Bike – GRB, Grupamento de Trânsito – Gtran, Guarda Ambiental, Corpo Musical, Guard e Capelania GCM, que oferece apoio religioso aos integrantes da corporação e seu familiares).
A GCM atua também em políticas de prevenção à violência, através de programas como o Guard e o Projeto Sangue Azul, ambos desenvolvidos com crianças e adolescentes. Atualmente cerca de 100 alunos recebem instruções no Centro de Formação da Guarda.










quarta-feira, 21 de novembro de 2012

GCMs da IR Norte impedem roubo e prendem dois assaltantes


Por volta das 10 horas de hoje (21), dois homens foram presos em flagrante pelos GCMs da Inspetoria Regional Norte, 2ª classe Medeiros e 3ª classe Tatiane, no Jardim Maria Dirce, região do 7º DP.
De acordo com os guardas, eles estavam em ronda no PA Alvorada quando foram avisados por C.A.H., 32 anos, de que sua moto havia sido roubada por três homens, um deles armado com uma pistola. A guarnição estava a caminho do local indicado pela vítima, quando foi informada por duas mulheres de que um motociclista estava sendo roubado do outro lado da passarela.

Créditos: Cris Marques

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Balanço dos ataques em SP





















 
Dados atualizados em 12/11/2012. 

- Inicio da onda de ataques junho/2012, porém se agravou nos últimos meses.

OCORRÊNCIA somente em 2012
QUANTIDADE
Morte de policiais
91
Tentativa de homicídio de policiais
98
Ônibus incendiados
27
Bases da PM atacadas
13
Boatos de toques de recolher
Em toda Grande SP
Número de homicídios somente nós últimos 02 meses
Já ultrapassa 200
Agentes penitenciários
02
 
 
 

OCORRÊNCIAS COM GUARDAS MUNICIPAIS
DATA

Em Pirapora do Bom Jesus, na Grande São Paulo, uma base da Guarda Civil Municipal foi atacada a tiros.
02/07
O Posto da Guarda Municipal do bairro Pauliceia, em Piracicaba (SP), foi alvo de um atentado
03/07

Viatura da GCM de Taboão da Serra alvejada
06/07

GCM de Praia Grande Morto
02/08
Base da GCM de Campinas é atacada com bomba caseira
28/09

GCM de Diadema tem sua residência invadida por dois integrantes com uma pistola 380 e picharam as paredes com a sigla PCC 1533
28/10
Base da Guarda Metropolitana  é alvo de tiros
21/10
Base da GCM de Guarulhos é alvo de disparos.
29/10
GCM de Cotia leva tiro de raspão na cabeça
08/11
Uma viatura da GCM de Cotia com dois agentes iniciou uma
Troca de tiros depois que criminosos atiraram na viatura
07/11
Homem invade base da GCM de Taboão da Serra é morto
11/11
Agente da GCM de Piracicaba leva um tiro na  testa e nas costas
Em suposto assalto
09/11
Suspeito de tentar incendiar uma viatura da GCM de SP é preso
11/11

Sem contar os fatos que não são registrados ou não entram nas estatísticas da secretária de segurança pública de SP, ou ainda ocorrem no interior e não são divulgados. 

·         O sistema de monitoramento de crises do governo federal aumentou o alerta para São Paulo por causa das ações recentes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Um relatório especial feito pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que abastece o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) ligado à Presidência da República, mostra que a situação, ruim há alguns meses, tende a se agravar em razão da resposta do grupo às ações das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar; 

   Segue trechos da reportagem que foi ao ar dia 11/11 no Fantástico:

Segundo documentos obtidos com exclusividade pelo Fantástico, a Secretaria de Segurança de São Paulo foi avisada – há três meses – de que uma onda de violência estava para acontecer. São relatórios das Policias Civil e Federal, e também do Ministério Público Estadual.

Um deles, do centro de inteligência da Polícia Civil, registra uma conversa telefônica entre bandidos do interior paulista. A quadrilha dá ordens para a morte de PMs.

O documento, “reservado”, é de 16 de agosto. No mesmo dia, a mesma mensagem é interceptada pelo ministério público estadual – agora transmitida por outros bandidos do grupo.

“O Ministério Público obteve numa interceptação telefônica judicialmente decretada essa informação e adotou todas as providências, comunicando inclusive para as polícias”, afirma Márcio Elias Rosa, procurador-geral de justiça de São Paulo.

Seis dias depois, em 22 de agosto, o alerta foi da Polícia Federal. O aviso: “urgentíssimo”. Uma delegada relata as ameaças feita pela quadrilha. Em nota, a PF diz ter repassado a mensagem para os órgãos interessados.

A partir de 16 de agosto , quando a ordem dos bandidos foi interceptada, 36 policiais foram mortos. O numero de homicídios na cidade de São Paulo também disparou: chegou a 135 em setembro, quase o dobro do mesmo mês no ano passado.

A equipe do Fantástico procurou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. O delegado-geral do estado, Marcos Carneiro Lima, afirmou que não foi alertado nem pelo Ministério Público nem pela Polícia Federal sobre os ataques: “Oficialmente nós não temos essa informação”.
 

OBS: O levantamento foi feito com base em notícias publicadas na imprensa. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo não está contabilizando os números da onda de violência.
 
Elaborado por : Siderley Lima, consultor em segurança patrimonial, supervisor da GCM de Jandira.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

REDUÇÃO DE HORAS EXTRAS DERRUBA COMANDANTE DA GUARDA MUNICIPAL DE UBERABA MG

A Guarda Municipal de Uberaba tem novo comandante. O coronel PM da reserva Antônio de Sousa Filho passa a responder pela Direção da GM em substituição a Marco Túlio Gianvecchio, exonerado do posto dois dias após ter revelado que, ante a proximidade do fim do mandato do prefeito Anderson Adauto (sem partido), decidiu-se pela redução das horas extras dos agentes, o que levou à suspensão das atividades da Patrulha do Silêncio no fim de semana.

A revelação feita pelo então diretor da Guarda Municipal teria desagradado ao prefeito. Esta não é a primeira vez que AA substitui o comando da GM após declarações consideradas inadequadas. Em 2006, ainda no primeiro mandato, Anderson determinou a exoneração de Valter Pereira, que já havia colocado o cargo à disposição, depois que, em solenidade na Câmara Municipal, disse que o salário da categoria precisava melhorar.

Subsecretário de Trânsito e Transportes Especiais, Antônio de Sousa Filho irá acumular as duas funções, mas adianta que vê com tranquilidade a situação. Ele também assegura que a Patrulha do Silêncio, o Patrulhamento Escolar e a orientação do trânsito, principalmente na região das obras do programa Água Viva, na área central, serão prioridades do efetivo, formado por cerca de 300 guardas municipais.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Guarda Ambiental Apreende 46 Pássaros após denúncia Anônima

  Na manhã de ontem (07) em operação realizada após o recebimento de uma denúncia, dando conta que na Rua Angatuba nº 47, a Guarnição da Viatura 851 lotada na Inspetoria Ambiental, composta pelos GCM's Melanda e Fonseca, apreenderam 46 pássaros silvestres.
  A denúncias recebidas pela equipe dava conta de que Rivaldo Martins de Oliveira, 52 anos, estava na posse de várias aves em gaiolas, e que não possuía autorização do IBAMA para criá-los.
  Entre as aves estavam 01 Galo de Campina, 02 Coleirinhas, 04 Picharros, 38 Canário da Terra, 01 Pássaro Preto.
  O caso foi registrado na Delegacia do Meio Ambiente, onde Rivaldo assinou um termo circunstanciado e responderá por Crime Ambiental baseado no Art. 29 da lei 9605/98, os pássaros apreendidos serão periciados e depois encaminhados ao Centro de Triagem da Universidade do Vale do Paraíba em São José dos Campos, para reabilitação e posterior reintrodução em seu Habitat.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

GOVERNO FEDERAL quer fim do mentiroso título “resistência seguida de morte”


A secretária nacional de Segurança Pública (Senasp), Regina Miki, pretende se reunir em breve com os secretários estaduais de segurança brasileiros para acabar com os registros de “resistência seguida de morte” feitos atualmente nos boletins de ocorrência.  O estudo para a definição dos termos do pacto estão sendo feitos pela Secretaria de Assuntos Estratégicos. Segundo Regina, o motivo para a revisão é que não existe o crime resistência seguida de morte no Código Penal. O crime é o homicídio.
“A resistência seguida de morte é uma excludente de licitude, que deve ser discutida no âmbito processual. Não deve ser registrado logo no boletim de ocorrência, porque pode induzir as investigações”, explica.
Nos seis boletins de ocorrência descrevendo as oito mortes entre quinta-feira e sexta-feira, no registro constava normalmente crimes “roubo” e “resistência”. A pessoa morta no suposto confronto com a PM é apontada como “autor” em vez de vítima. Isso ocorre porque, no documento feito na delegacia, a pessoa morta é considerada suspeita de roubo e acusada pelos PMs de ter atirado contra eles.
O objetivo da Senasp é estabelecer com os Estados que boletins de ocorrência passem a registrar o crime “homicídio” em vez de “resistência”. A pessoa morta deveria ser tratada como vítima. Nos casos de confronto entre policiais e vítima, haverá um espaço para os delegados informarem no documento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.